Documentário: Muito Além do Cidadão Kane

Em uma realidade onde o golpe em curso teve a imprensa como um de seus principais protagonistas e em especial a rede GLOBO nós do jornal O Proletário selecionamos um documentário de 1993 porém mais atual impossível: “Muito Além do Cidadão Kane”.

O documentário aborda o surgimento da rede Globo, a figura de seu fundador, Roberto Marinho, e a relação com a ditadura e seu papel de protagonista no cenário politico nacional além de mostrar como a mesma manipula a população brasileira a anos mostrando como ela varias vezes distorceu fatos e interviu em eleições e movimentos políticos como a greve dos metalúrgicos de 1987, a eleição do Collor entre outros fatos.

Vídeo muito interessante para compreender que a GLOBO é um serviço de desinformação do povo que deve ser denunciada e combatida pois é a principal ferramenta da burguesia para alienar o trabalhador.

Veja o documentário na Íntegra:

Muito Além do Cidadão Kane

Beyond Citizen Kane (Muito Além do Cidadão Kane, no Brasil) é um documentário televisivo britânico de Simon Hartog exibido em 1993 pelo Channel 4, emissora pública do Reino Unido. O documentário mostra as relações entre a mídia e o poder do Brasil, focando na análise da figura de Roberto Marinho. Embora o documentário tenha sido censurado pela Justiça, a Rede Record comprou os direitos de transmissão exclusiva por 20 mil dólares do produtor John Ellis.

A obra detalha a posição dominante da Rede Globo na sociedade brasileira, debatendo a influência do grupo, seu poder e suas relações políticas, que os autores do documentário vêem como manipuladoras e formadora de opinião. O ex-presidente e fundador da Globo Roberto Marinho foi o principal alvo das críticas do documentário, sendo comparado a Charles Foster Kane, personagem criado em 1941 por Orson Welles para o filme Cidadão Kane, um drama de ficção baseado na trajetória de William Randolph Hearst, magnata da comunicação nos Estados Unidos. Segundo o documentário, a Globo empregaria a mesma manipulação grosseira de notícias para influenciar a opinião pública como fazia Kane no filme.

De acordo com matéria veiculada na Folha Online em 28 de agosto de 2009, a produtora que montou a filmagem é independente e a televisão pública britânica não teve qualquer relação com seu desenvolvimento. Já a Record sustenta que a BBC, outra emissora pública do Reino Unido, estaria relacionada com sua produção.

Fonte: Wikipédia